terça-feira, dezembro 18, 2007

Mais do mesmo...

"Mais 131 hectares de habitats prioritários em causa"
«Recentemente estiveram em discussão pública, embora tentando passar despercebidos, os Planos de Pormenor de mais duas Áreas de Desenvolvimento Turístico localizadas no sítio da Rede Natura 2000 "Comporta/Galé"(...)»


A ler na íntegra no boletim informativo da "Quercus"

Mas o dislate continua com a
"Destruição de Azinhal da Rede Natura em Alvaiázere"

«A Quercus foi alertada recentemente para a destruição ilegal de um azinhal na Serra de Ariques, no concelho de Alvaiázere, em pleno Sítio da Rede Natura 2000, Sicó-Alvaiázere. Centenas de azinheiras foram abatidas ilegalmente (...)»

A ler na íntegra no boletim informativo da "Quercus"

Depois são todos muito amigos do ambiente e aparecem na televisão com um grande sorriso a dizer, por exemplo, que o monte de toneladas de lixo, levemente parecido com uma árvore, que decora a Avenida dos Aliados, no Porto, possui um certificado de "carbono zero"... É o "greenwash" em todo o seu esplendor, servido frio com grandes doses de hipocrisia a acompanhar... Mais do mesmo, portanto.

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Coral de Natal


A APOBO associa-se, através da divulgação do evento, à realização do "Coral Infantil de Natal" a realizar no próximo dia 23, pelas 15.30h, na capela de Nossa Senhora da Estrela, em Boassas. Um bom motivo para visitar a "Aldeia de Portugal" que é Boassas ...

(A imagem que acompanha este apontamento é uma pintura do grande pintor italiano renascentista
Rafael Sanzio de Urbino, intitula-se "A Sagrada Família" e foi pintada em 1507. O original encontra-se na Antiga Pinacoteca de Munique, na Alemanha e a reprodução foi retirada da "Wikipedia". Para mais informações sobre a obra "clicar" sobre as palavras sublinhadas.)

quinta-feira, dezembro 06, 2007

António Cruz 1907-2007



A CIDADE RECORDA O SEU PINTOR

O Museu Soares dos Reis, no Porto, vai inaugurar no próximo dia 14 de Dezembro (sexta-feira), pelas 18.00h uma exposição dedicada ao nascimento do pintor António Cruz. A exposição irá permanecer até ao dia 31 de Janeiro de 2008. A direcção do projecto é de José Cruz santos e Amândio Secca, a direcção gráfica está a cargo de Armando Alves e a coordenação é de Manuela de Abreu e Lima.
Da Comissão de Honra fazem parte, entre outros:

Isabel Pires de Lima (Ministra da Cultura); Agustina Bessa-Luís; Ramalho Eanes; Fernando Lanhas; José Augusto-França; Júlio Resende; Mário Cláudio e Vasco Graça Moura.

"António Cruz é, sem contestação possível, o maior aguarelista português dos tempos modernos. Deu-lhe grandeza; ressonância sinfónica; levou-a até atingir o valor de uma alta expressão sintética e afastou-a da superficialidade habitual. O seu romantismo patético faz lembrar Delacroix."
Abel Salazar

quarta-feira, novembro 28, 2007

Assembleia Geral Ordinária



Está a ser enviada aos sócios da APOBO a convocatória para a Assembleia Geral ordinária do corrente ano, a realizar no próximo dia 2 (Domingo), pelas 15.30 h, na sede provisória da Associação Por Boassas, sita na Casa do Cerrado, em Boassas, com a seguinte ordem de trabalhos:
1. Discussão, votação e aprovação do Orçamento para o próximo ano.
2. Discussão, votação e aprovação do Plano de Actividades para o próximo ano de 2008.
3. Ponto da situação e informações eventuais sobre as actividades recentes da associação. Agradecemos, desde já, a comparência de todos os associados.

terça-feira, novembro 27, 2007

Catálogos dos Encontros de Boassas chegam à Biblioteca Nacional de Espanha


Os catálogos das exposições resultantes dos Encontros Internacionais de Ceramistas em Boassas foram recenseados pela Biblioteca Nacional de Espanha. É impressionante verificar o interesse, a acuidade, a importância que é dada por "nuestros hermanos" a estas "coisas da cultura". Por cá, como sempre, essa é uma palavra que anda arredada do próprio vocabulário... Haverá outra explicação para o nosso endémico atraso?...

segunda-feira, novembro 26, 2007

Sinalização de Boassas como "Aldeia de Portugal"


Foram recentemente colocadas pela ATA (Associação de Turismo de Aldeia) as placas identificadoras de Boassas como "Aldeia de Portugal". Um título alcançado graças ao esforço e empenho da actual direcção da Associação Por Boassas. Espera-se agora uma maior atenção e reconhecimento da aldeia pelo poder político, sobretudo local, nomeadamente ao nível da preservação do património, do apoio ao turismo e às actividades tradicionais, aspectos que tão maltratados vêm sendo nos últimos tempos. Espera-se também um aumento substancial do número de turistas, o qual, diga-se, de há cerca de três anos a esta parte e graças em grande parte à APOBO, não cessa de aumentar.

segunda-feira, novembro 12, 2007

"Quanto Douro conhecemos?"...

I Colóquio Regional de História, Arte e Património


Realiza-se nos próximos dias 30 Novembro e 1 de Dezembro, em Lamego e Tarouca o "I Colóquio Regional de História, Arte e Património". A organização é da diocese de Lamego. Uma oportunidade para se ficar a conhecer melhor a história, a arte e o património desta região duriense...

terça-feira, novembro 06, 2007

"Boassas. Uma aldeia com história"... o livro



Vai, finalmente, ser editado no próximo mês de Dezembro o livro "Boassas. Uma aldeia com história". A APOBO associa-se ao lançamento através da sua divulgação. Assim, os associados que reservem até 30 do corrente um ou mais exemplares da obra beneficiarão de um desconto de 20% sobre o preço de capa (37.50).
Para efectuar reserva ou obter mais informações:
E-mail: manuelcerveirapinto@hotmail.com
Telemóvel: 968175718 ou 919346388

sexta-feira, novembro 02, 2007

"Cem milhões para o turismo"

"A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) apresentou a estratégia para o desenvolvimento do turismo. Até 2013, serão investidos cem milhões de euros numa região com taxas de crescimento turístico acima da média nacional."

"A CCDR-N apresentou ontem a estratégia de programação e acção para o desenvolvimento turístico do Norte. De acordo com dados da Comissão, o turismo nortenho registou uma dinâmica positiva nos últimos anos, com taxas de crescimento acima da média nacional. Portugal é o 19º destino turístico do mundo, encontrando-se em oitavo lugar a nível europeu. No entanto, 75 por cento da actividade turística nacional centra-se em Lisboa, Algarve e Madeira.
A comissão apurou quais os principais recursos turísticos do Norte – no Porto, Minho, Douro e Trás-os-Montes – e definiu as linhas gerais de orientação no sector. “Muita gente não conhece o Norte”, argumenta o presidente da CCDR-N, Carlos Lage. “E este é um momento-chave, uma oportunidade que não podemos perder. É certo que falta o TGV e a linha do Douro, mas o turismo vai ajudar a reabilitar a economia nortenha.”
Carlos Lage sustenta que “o Governo tem actuado, mas há tendência para apoiar regiões já estabelecidas. Não podemos rivalizar com o Algarve, a Madeira ou Lisboa, que já se afirmou e está internacionalizada. Há uma concentração nestes três destinos e uma tendência para apostar nestas marcas consagradas”. No entanto, o presidente defende que “o envelope [de 100 milhões] permitirá dar nervo à política que delineámos. É para seis anos e não é para dispersar; será concentrado em produtos definidos e altamente selectivos”.
Embora o momento seja favorável para o desenvolvimento turístico no Norte, existem várias fragilidades, como a “dificuldade de articulação e coordenação entre os vários agentes”, ou “a incapacidade de fixar visitantes”. Outro ponto negativo é a má sinalização turística. A oferta regional centra-se ainda num alojamento de categoria inferior, apesar do Norte ser a região com maior número de pensões a nível nacional. Entre as características positivas, conta-se a diversificação da oferta turística ou o vasto património histórico-cultural e arqueológico.

Investimento no Douro
“O turismo vive um momento difícil”, considera Carlos Lage. “Mas é uma área que pode proporcionar criação de riqueza e emprego. O sector, em Portugal, cresceu significativamente. Mas ainda temos um turismo modesto e é um sector que pode dar um salto nos próximos anos”. Este desenvolvimento passa, entre outros factores, pela implementação de sistemas de qualidade nos estabelecimentos de hotelaria e restauração, com o objectivo de melhorar os serviços. A estratégia abrange também planos de acção no âmbito regional.
Em breve, a Comissão vai estudar as condições de atribuição dos cem milhões de euros, nomeadamente a nível de candidaturas. No início de 2008, divulgará as condições de acesso à verba.
De acordo com o presidente da CCDR-N, “uma fatia significativa destinar-se-á ao Plano de Desenvolvimento Turístico do Vale de Douro. A região é um fenómeno, e é criminoso não ter sido aproveitado como devia. É onde é mais urgente actuar”, argumenta. Paulo Gomes, vice-presidente da CCDR-N, acrescenta que “o Douro é hoje uma prioridade”.
Os objectivos são ambiciosos mas concretizáveis, nas palavras de Carlos Lage: “Quase me interrogo se estamos a ser pioneiros ou temerários, mas julgo que estamos a ser pioneiros.” De acordo com o presidente, “a nível de políticas de turismo, a confusão no Norte só terminará com a constituição de uma comissão regional de turismo. Somos a favor da definição de uma região turística para o Norte. O objectivo não é eliminar instituições que promovem o turismo em locais mais circunscritos, mas é tempo da CCDR-N começar a definir políticas regionais dignas desse nome. O diagnóstico e o seu carácter mostram que estamos maduros para defender uma política regional nesta área”.
O processo será lançado no contexto da Agenda Regional de Turismo, através da criação de um Comité de Pilotagem e de uma Comissão de Acompanhamento do Turismo do Norte de Portugal. A CCDR-N já debateu o documento com o recém-criado Comité."

David Furtado in "O Primeiro de Janeiro de 16-10-2007"

terça-feira, outubro 30, 2007

Revista "Ceramica" (Espanha) destaca os encontros de Boassas








Encuentros Internacionales de Arte . Culla 2007


Del 20 de octubre al 7 de Noviembre se celebrará en Culla (Castellón) la primera edición de esta de estos encuentros, que siguen la línea marcada por los encuentros de Boassas (Portugal), de 2004 y 2006.

segunda-feira, outubro 29, 2007

Capela de N.ª Sr.ª do Amparo


Aspecto da seiscentista capela de Nossa Senhora do Amparo, pertencente à já aqui mencionada Casa do Cubo. No seu interior encontra-se uma sepultura datada de 1650, que se supõe ser de António do Amaral Semblano, que foi Capitão-Mor do concelho de Ferreiros de Tendais e Senhor da mesma Casa do Cubo. A foto é da autoria de Nascimento Tendais e integra o livro (a publicar brevemente) "Boassas-Uma Aldeia com História).

sexta-feira, outubro 19, 2007

... e duas novas ligações recíprocas

Um pouco fora de tempo (motivo pelo qual pedimos desculpa) descobrimos duas novas "reciprocidades". Trata-se do original e contestatário "Pimenta Negra" e do não menos curioso "Está de velho". Aqui fica o nosso agradecimento e, claro, a nossa retribuição.

Boassas citado pelo "Ison 21"

O nosso blogue teve mais uma vez destaque, desta feita a partir do interessante "Ison 21", que nos chega de Espanha e a propósito do mais recente artigo sobre o Padre Himalaya.

segunda-feira, outubro 08, 2007

TGV - Travar para pensar...

Chegou-nos por "e-mail" o seguinte texto que consideramos de grande acutilância e pertinência. Transcrevemo-lo, com a devida vénia ao autor, apesar de não estar assinado. O texto chama-se:

*Travar para pensar*

"Há uns meses optei por ir de Copenhaga a Estocolmo de comboio. Comprado o bilhete, dei comigo num comboio que só se diferençava dos nossos Alfa por ser menos luxuoso e dotado de menos serviços de apoio aos passageiros.

A viagem, através de florestas geladas e planícies brancas a perder de vista, demorou cerca de cinco horas.

Não fora ser crítico do projecto TGV e conhecer a realidade económica e social desses países, daria comigo a pensar que os nórdicos, emblemas únicos dos superavites orçamentais, seriam mesmo uns tontos.

Se não os conhecesse bem perguntaria onde gastam eles os abundantes recursos resultantes da substantiva criação de riqueza.

A resposta está na excelência das suas escolas, na qualidade do seu Ensino Superior, nos seus museus e escolas de arte, nas creches e jardins-de-infância em cada esquina, nas políticas pró-activas de apoio à terceira idade.

Percebe-se bem porque não construíram estádios de futebol desnecessários, porque não constroem aeroportos em cima de pântanos, nem optam por ter comboios supersónicos que só agradam a meia dúzia de multinacionais.

O TGV é um transporte adaptado a países de dimensão continental, extensos, onde o comboio rápido é, numa perspectiva de tempo de viagem/custo por passageiro, competitivo com o transporte aéreo.

É por isso, para além da já referida pressão de certos grupos que fornecem essas tecnologias, que existe TGV em França ou Espanha (com pequenas extensões a países vizinhos).

É por razões de sensatez que não o encontramos na Noruega, na Suécia, na Holanda e em muitos outros países ricos. Tirar 20 ou 30 minutos ao Lisboa-Porto à custa de um investimento de cerca de 7,5 mil milhões de euros não trará qualquer benefício à economia do País.

Para além de que, dado hoje ser um projecto praticamente não financiado pela União Europeia, ser um presente envenenado para várias gerações de portugueses que, com mais ou menos engenharia financeira, o vão ter de pagar.

Com 7,5 mil milhões de euros podem construir-se mil escolas Básicas e Secundárias de primeiríssimo mundo que substituam as mais de cinco mil obsoletas e subdimensionadas existentes (a 2,5 milhões de euros cada uma), mais mil creches inexistentes (a 1 milhão de euros cada uma), mais mil centros de dia para os nossos idosos (a 1 milhão de euros cada um).

Ainda sobrariam cerca de 3,5 mil milhões de euros para aplicar em muitas outras carências, como a urgente reabilitação de toda a degradada rede viária secundária.

CABE ao Governo REFLECTIR.

CABE à Oposição CONTRAPOR.

CABE AOS CIDADÃOS MANIFESTAREM-SE!!!

CABE À TUA CONSCIÊNCIA REENCAMINHAR OU DEIXAR FICAR!!!"

sábado, outubro 06, 2007

O "Sargaçal" despede-se com um retrato da terra...

O nosso blogue de referência - o fantástico "Sargaçal" - despede-se com um retrato da terra. Sabemos que assim é, que tudo tem que terminar um dia, o que não impede de sentirmos a mágoa de vermos desaparecer algo de que gostamos e com o qual chegamos a trocar opiniões e partilhar ideias. Esperamos e desejamos que o "Sargaçal", cuja semelhança com as aves pela sua ideia de liberdade possa, qual fénix, renascer um dia. Entretanto fica o louvor e o nosso agradecimento por tudo o que nos foi dado aprender e partilhar...

sexta-feira, outubro 05, 2007

Sinalização das Aldeias de Portugal


As Aldeias de Portugal continuam a sua acção em prol do desenvolvimento do interior. Em visita à sua interessante página da "internet" ficamos a saber que, já durante este mês, as aldeias classificadas vão dispôr de sinalização própria e apropriada. Esperemos que este seja um esforço apreciado e reconhecido, que ajude a parar definitivamente a destruição galopante que se vem verificando... No referido espaço pode ler-se o seguinte:

"A partir do mês de Outubro de 2007, quem visitar as Aldeias classificadas pela ATA-Associação do Turismo de Aldeia com a marca " Aldeias de Portugal", irá encontrar nas entradas principais novas placas de sinalização.

Estas novas placas seguem uma linha semelhante para as 36 Aldeias classificadas, permitindo, a quem as visita, diferenciar as aldeias, associando-as a uma marca de qualidade reconhecida."

terça-feira, setembro 18, 2007

Património de Boassas


As "Alminhas" de Boassas datam, provavelmente, de meados do século XVIII. Esta encontra-se na entrada norte da aldeia, junto à entrada do caminho da Fonte-da-pedra. Há anos trouxémos ao local uma especialista em restauro para dar um orçamento para a sua recuperação. Já não era então possível recuperar os rostos das pinturas do retábulo. O restauro custava na altura 80 contos (ainda não havia euros) e houve até quem se oferecesse para pagar a recuperação... Até hoje. Entretanto outras há, novas e com iluminação, feitas a "metro". Substitui-se o valioso pelo "pexisbeque". É assim em tudo, desde as casas, ao mobiliário e às obras de arte. O problema é, seguramente, cultural!

domingo, setembro 09, 2007

A vida e obra do Padre Himalaya

A intuição do Padre Himalaya, de que a energia solar e outras energias renováveis poderiam vir a tornar-se as energias do futuro, tornaram-no pioneiro daquilo que hoje se pode definir como desenvolvimento ecologicamente sustentado.

Em 1904 em St. Louis, Missouri, EUA, muita gente admirava a gigantesca estrutura de aço, onde milhares de espelhos reflectiam a luz do sol, e 80 m2 de superfície obtinham 3500º de temperatura. O pireliófero do Padre Himalaya fazia entrar Portugal na história das energias renováveis, há mais de cem anos.

Assim, em 1904, um português, conhecido como Padre Himalaya, recebia o "Grand Prix" na Exposição Mundial de St. Louis, nos EUA, por um engenho - chamado pireliófero - que utilizava a energia solar para derreter rochas e metais.

A obra do Padre Himalaya foi redescoberta em meados dos anos 90 pelo Professor Doutor Jacinto Rodrigues, que editou então um livro chamado "A Conspiração Solar do Padre Himalaya"...

O documentário recentemente realizado por Jorge António irá passar na próxima terça-feira, pelas 23,30h, na RTP2. A não perder!!!!

quinta-feira, setembro 06, 2007

Boassas citado pelo "Pimenta Negra"

O nosso humilde blogue recebeu, mais uma vez, um destaque. desta feita pelo empenhado "Pimenta Negra". A ligação é estabelecida a partir de um artigo em que se anuncia a 10ª edição do "Festival Altitudes", em Campo Bemfeito, em plena serra de Montemuro e como um dos sítios onde se pode obter informação àcerca da região.

terça-feira, agosto 28, 2007

Encontros Internacionais de Ceramistas em Boassas repercutem-se em Espanha II

Desta feita é a localidade valenciana de Culla que de 20 de Outubro a 7 de Novembro irá acolher um encontro cuja directriz, na óptica do seu organizador o ceramista auto-didacta Mariano Poyatos, colhe inspiração nos Encontros de Boassas, pois que na própria memória descritiva do projecto (embora com erros) se pode ler a determinada altura:
"Encuentro Internacional de Ceramistas (Experiencia Culla 2007).
En los años 2004 y 2006 se han celebrado los encuentros Internacionales de Ceramistas
en Boassas (Portugal), auspiciados por el Museo Nacional de Cerámica y coordinados por la ceramista Sofía Beça y por Manuel Cerveira. En aquella ocasión se presentó la obra de nueve ceramistas de Portugal, España y Japón. Con motivo de esta experiencia se han realizado dos exposiciones en Boassas y en el Museo Nacional de Cerámica, se han publicado dos catálogos y se han organizado dos mesas redondas en el Museo Nacional de Cerámica con una gran participación de estudiantes y ceramistas."
No evento irão participar, aliás, dois artistas que estiveram presentes nas duas edições dos Encontros de Boassas, nomeadamente: Juan Ortí Garcia e Sofia Beça.
O certame é patrocinado pelas autarquias locais e pelo Instituto de Promoción Cerámica de Castelló. Notícias sobre o evento podem ser lidas na página do "Ayuntamiento de Culla" e em http://www.cullacontemporanea.com.

terça-feira, agosto 21, 2007

Novo romance de Lúcia Vaz Pedro


Aqui se apresenta, em primeira mão a capa do novo livro da escritora (de ascendência boassense) Lúcia Vaz Pedro, de quem já aqui falámos, bem como um excerto do mesmo que a autora generosamente nos enviou. O desenho da capa é da autoria de Soraia Pereira e o lançamento da obra está agendado para Outubro

"(…) Naquela noite de Abril, o casarão rodopiou no eco do piano. Com o olhar frio e bélico, Olinda sentou-se, folheou as partituras e puxou o banco para trás.
Iniciou com o Prelúdio em Sol Sustenido Maior de Rachmaninov.
De sentido apurado, o gato acomodou-se para a ouvir tocar. Conhecia de cor aquele toque duro e ferido.
As paredes empalideceram com as imagens que desfilavam nos dedos enrugados da mulher e, de cada vez que carregava mais forte nas teclas, as estátuas estremeciam a dor sentida. O terror apoderava-se da casa. Uma batalha sangrenta de sons atingia o auge transbordando a raiva muda de palavras. E ela continuou, forte, hercúlea, com o Estudo em Dó Sustenido Menor de Scriabin. Os dedos possuídos atiraram as notas como pedras, cerrando-lhe as pálpebras dos olhos humedecidos.
No piano desaguou a revolta calada por tudo o que já não era capaz de dizer. Entre a música e ela travou-se um duelo de gigantes transpirados de suor doentio e velho e as palavras engravidaram de notas nas teclas do piano de cauda, ora prenhes de sofrimento ora de amor: nunca mais te vou esquecer, a minha alma está rendida à saudade de ti, meu amor. Onde te poderei encontrar de rosto seco? Sinto as ondas do teu sangue que correm pelo meu corpo e um remoinho feito de tempestade salta o mar salgado e adormece impávido de raiva e dor. Que raio ou trovão nos separou, nos abandonou no céu rasgado, nos traiu de peito alado? Que mar ou rio nos afogou, nos levou o olhar salgado, nos abandonou, naufragados? Que raiz ou árvore nos plantou em planaltos separados, em continentes afogados, em muros tão elevados? Eu sei, mas não me rendo, e, distante, o meu destino escuta o bater do sino na ânsia de te rever!...
Por fim, os dedos pousaram e adormeceram, cansados, nas teclas do piano poderoso.
O silêncio aproximou-se da solidão e engoliu o espaço. Olinda recolheu-se no quarto, seguida pelo gato preto, vagaroso e incondicionalmente leal."

In «A Voz Da Minha Solidão», Lúcia Vaz Pedro, editora Ideias e Rumos

segunda-feira, agosto 13, 2007

"Quando os Estudos são apenas uma formalidade"

"Neste momento em que ainda não foi emitido a Declaração de Impacte Ambiental referente à Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do Projecto Aquícola de Engorda de Pregado em Mira, projecto da Pescanova previsto para o sítio de Rede Natura 2000 “Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas”, estão já a ser cortadas árvores e instaladas linhas e postes para transporte de energia eléctrica. Neste momento em que ainda não foi emitido a Declaração de Impacte Ambiental referente à Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do Projecto Aquícola de Engorda de Pregado em Mira, projecto da Pescanova previsto para o sítio de Rede Natura 2000 “Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas”, estão já a ser cortadas árvores e instaladas linhas e postes para transporte de energia eléctrica.(...)"
A ler o artigo na íntegra in "Quercus Newsletter", por Hélder Spínola

quarta-feira, julho 25, 2007

Encontros Internacionais de Ceramistas em Boassas repercutem-se em Espanha


Os "Encontros Internacionais de Ceramistas em Boassas" ultrapassaram há muito as fronteiras da nacionalidade, tendo repercussão sobretudo nos países dos artistas/ceramistas participantes e sobretudo em Espanha. Como que a provar a felicidade e o sucesso desta ideia o município de Alcora, em Espanha, decidiu acolher uma proposta semelhante e realizar também um encontro de ceramistas, cujo nome é ARTALCORA. Simultâneamente irá decorrer uma exposição onde estarão representados ceramistas de Portugal (nomeadamente Heitor Figueiredo que participou no último encontro de Boassas) e a mesma terá como comissária a artista/ceramista Sofia Beça. Há semelhança do sucedido em Boassas, haverá também uma demonstração de "soenga" pelo mestre César Teixeira... Enquanto que em Boassas duvidamos que haja uma próxima edição, em Espanha é o que se vê...
Entretanto o "nosso" blogue "Encontros Internacionais de Ceramistas em Boassas" mereceu um "link" por parte do blogue da organização, que muito agradecemos e o qual já retribuímos. Para visualizar este espaço de divulgação e ver o programa completo do evento basta digitar
http://feriaceramica.blogspot.com

quinta-feira, junho 28, 2007

Assembleia Geral ordinária - Convocatória

Está a ser enviada aos sócios da APOBO a seguinte convocatória para a Assembleia Geral ordinária do corrente ano:

"O Presidente da Assembleia Geral da APOBO (Associação Por Boassas), vem pelo presente meio convocar todos os seus associados para uma reunião ordinária (Assembleia Geral) a realizar no próximo dia 30 de Junho, pelas 16.00 h, na Casa do Cerrado (sede provisória desta associação), com a seguinte ordem de trabalhos:
1. Abertura da sessão, com leitura e aprovação da acta da reunião anterior.
2. Discussão, votação e aprovação do Relatório de actividades e contas do ano de 2006.
3. Ponto da situação e informações eventuais sobre as actividades recentes e outros assuntos de interesse para a associação.
Se à hora marcada não estiver presente o número legal de associados efectivos da Associação, a Assembleia-Geral funcionará, em convocatória, meia hora depois, com qualquer número de associados presentes, de acordo com a legislação vigente. Agradecemos desde já a comparência de todos os associados."

sábado, junho 16, 2007

Novas... das "Aldeias de Portugal"

Reunião das Aldeia de Portugal
Nos passados dias 8 e 9 de Junho do corrente, os parceiros dos países de Portugal, Espanha, Holanda e Itália, reuniram-se na região de Campania, para aprovação das Normas de Qualificação das Aldeias de Tradição, Villages of Tradition - Rede Europeia.

Aldeias de Portugal no Parlamento Europeu
No âmbito do projecto de cooperação das Aldeias de Portugal, a ATA - Associação do Turismo de Aldeia, irá organizar e promover a participação dos GAL do Entre Douro e Minho e Beira-Douro no Parlamento Europeu, em Bruxelas, para promoção e divulgação das Aldeias de Portugal e respectivos Territórios.
Durante a apresentação das Aldeias de Portugal irão decorrer, ao longo dos dias, mostras e degustação de produtos regionais das viárias regiões representadas.
Este evento terá lugar nos dias 3, 4 e 5 de Julho de 2007. (Pena é que Boassas não tenha ainda nenhum produto certificado para apresentar...)

Entretanto prossseguem os
"Workshops/Seminários no âmbito da Gestão da Org., Concepção de Projectos e Desenvolvimento Territorial"

Ministrados pela Universidade Católica Portuguesa estes workshops realizam-se no âmbito do projecto “Valorização do Norte Rural”, promovido pela ATA - Associação do Turismo de Aldeia, ao abrigo da linha de acção 2 da medida 1.5 da ON gerida pela CCDR-N. Destinatários:
População de activos em Instituições com protagonismo na promoção do desenvolvimento local e regional

Inscrições:
A participação é gratuita e limitada a 30 formandos.

As inscrições poderão ser realizadas pelo envio da respectiva ficha de inscrição, até às 12h, do primeiro dia de seminário/Workshop, através dos seguintes contactos:

ATA - Associação Turismo de Aldeia

Praça da República 15

4990 - 062 Ponte de Lima | Tef: 258 931 770 |Fax: 258 931 771 |


E-mail: aldeiasdeportugal@ata.pt; Web-site: www.aldeiasdeportugal.com.pt


sexta-feira, junho 01, 2007

It was forty years ago...


Há quarenta anos atrás era publicado aquele que é provavelmente o disco mais influente da música pop. Inovação musical, temática, técnica e mesmo artística (basta mencionar a capa...), contribuiram para criar uma obra de referência e um marco da cultura pop. Foi entretanto criada uma página apenas para divulgação do disco. Para aceder basta "clicar" na imagem.

quinta-feira, maio 31, 2007

77ª Feira do Livro do Porto


Está a decorrer mais uma feira do livro do Porto. Para os amantes dos livros é uma oportunidade única de encontrar as obras que há muito se procurava, de ver as novidades ou de assistir a eventos como a condecoração, pelo governo francês, do escritor portuense Mário Cláudio, que está agendada para hoje às 21.30h. Para aceder à página oficial da Feira do Livro basta "clicar" na imagem. A obra que ilustra este artigo é da autoria do artista portuense (de ascendência cinfanense) Rui Semblano e intitula-se "A Estante de Cameira"...

segunda-feira, maio 28, 2007

Descobrir a arte islâmica


Trata-se de uma página onde é possível aceder a um Museu Virtual sobre a arte islâmica. Apesar de fortemente marcado pela cultura árabe/islâmica, Portugal continua a não dar a devida atenção e importância a um património inestimável e único a nível europeu... O preconceito sempre foi uma barreira enorme que continua a ser difícil ultrapassar e que, seguramente, só o será com um maior conhecimento do passado, da história, da cultura... ou seja da nossa própria identidade.
(Para aceder "clicar" na imagem).

segunda-feira, maio 21, 2007

Novas placas toponímicas


Estão finalmente a ser colocadas as (belíssimas) placas toponímicas realizadas durante o II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas, realizado no mês de Abril do ano passado. A que se vê na imagem é da autoria do grande ceramista valenciano Juan Ortí Garcia. O património de Boassas está assim mais rico e a aldeia ainda mais bonita...

quinta-feira, maio 17, 2007

Construir em madeira


“A madeira é um material altamente reutilizável, aproveita a energia solar e o CO2 atmosférico para a sua geração e, por sua vez, consome pouca energia para a sua transformação sem produzir no seu processo resíduos contaminantes.

O aproveitamento construtivo de madeiras certificadas retira por grande período de tempo grandes quantidades de CO2 atmosférico (1,8 Tm.de CO2 por cada Tm. de madeira) o que facilita o cumprimento dos compromissos de Kioto sobre as alterações climáticas. O aproveitamento dos produtos florestais com gestão certificada melhora os bosques e possibilita um maior desenvolvimento social do mundo rural.”

Tradução livre do texto extraído do 1.º concurso da Cátedra de la Madera de Castilla y León “Construir con Madera” (www.uva.es/agoras.arq)

Nota: Em Portugal a construção em madeira é apenas residual, no entanto somos dos maiores consumidores mundiais de betão. Sintomático disso mesmo é o facto de o concurso português de arquitectura mais importante ser patrocinado por uma empresa de cimento... Por outro lado há também um preconceito e ignorância enraízados sobre este (tão nobre) material.

sexta-feira, maio 11, 2007

O cipreste de Boassas

O cipreste da Casa do Outeiro, em Boassas, é a única árvore classificada de Boassas e de Cinfães, do qual já diversas vezes aqui temos falado. É já um dos motivos de visita dos turistas à aldeia e agora está mencionado na lista de Árvores de Interesse Público da Direcção Geral dos Recursos Florestais. (clicar para ver)

quinta-feira, maio 03, 2007

Quem tem medo do...cânhamo?


Vem este artigo a propósito do interesse despertado por um apontamento colocado por José Rui Fernandes no seu brilhante "Quinta do Sargaçal" intitulado "Cânhamo contra as lagartas das couves". Neste artigo e respectivos comentários ficamos a saber algo mais sobre esta extraordinária planta, nomeadamente quanto ao efeito que provoca nas lagartas das couves e nos canários... Algo mais podemos porém acrescentar, até porque cremos que muitos mitos existem em torno desta planta. Aqui ficam algumas "dicas".

O cânhamo
(Cannabis ruderalis)

O cultivo do cânhamo em Portugal é legal (tal como em toda a comunidade europeia) e subvencionado. No entanto temos que ter em consideração que a estirpe tem de provir de semente devidamente certificada de forma a que esteja garantido que o teor de THC (toxicidade) seja inferior a 0.3. É uma planta com qualidades, no mínimo, impressionantes. Por exemplo: pode render entre 4 a 5 vezes mais pasta de papel que uma área equivalente de floresta (ou eucaliptos).

Como é uma planta anual não obriga a monocultura, podendo até ser integrada com vantagem, na rotação agrícola. Produz duas a três vezes mais fibra têxtil que uma área igual de algodão, mas sem necessidade de utilização de pesticidas ou herbicidas, podendo por isso ser um produto 100% biológico, tornando as roupas particularmente indicadas para as crianças. A semente fornece óleo de alto valor nutritivo, rico em proteínas, vitamina B e ácidos insaturados, inclusive o ácido linoleico, sendo por isso um excelente óleo alimentar. O óleo é também usado frequentemente no fabrico de cosméticos. Os desperdícios podem ser usados como material de construção (reboco de paredes, isolamento térmico, etc...), biomassa, plástico (!!), etc.

Trata-se ainda de uma das primeiras plantas medicinais a ser usada pelo Homem, sendo o ÚNICO medicamento eficaz no tratamento do glaucoma e permite tratar outras doenças, como as náuseas da quimioterapia, a esclerose múltipla, paralisias graves, asma, depressão, etc... Isto, note-se, com uma toxicidade relativamente baixa, se comparada com os medicamentos químicos e convencionais.

Supõe-se que tenham sido os romanos a introduzir o cultivo do cânhamo para Portugal e é no período dos Descobrimentos que o cultivo atinge o seu auge, pois com a fibra extraída da planta eram fabricadas as cordas e velas dos navios. Cai posteriormente num período de esquecimento, tendo ressurgido no período do Estado Novo, que em 1937 relança o seu cultivo com uma campanha de produção intitulada "Pró-Cânhamo". O cultivo mantém-se até 1971, altura em que, graças a pressões internacionais, nomeadamente dos EUA, o seu cultivo é proibido.

No entanto sabemos que o cultivo do cânhamo foi permitido nos EUA durante a segunda guerra mundial, para facilitar a produção têxtil de material de guerra (fardas, tendas, cordas, etc...), tendo sido lançada uma campanha que se intitulava "Cânhamo para a Vitória". Com o fim da guerra voltou a ser proibido (!!). As próprias calças "Lewi's" (passe a publicidade) eram inicialmente feitas de cânhamo e a primeira campanha publicitária dizia: "Umas calças para toda a vida" (Num mundo consumista percebe-se muito bem porque falhou o seu fabrico neste material...)

O cânhamo é cultivado em todos os continentes e está a ressurgir na Europa, com especial incidência em França, Alemanha, Inglaterra, Espanha, Holanda, Áustria, etc...

Em Portugal há uma empresa chamada "Cânhamo de Portugal", devidamente certificada (desde 1999) que comercializa (e produz) diversos produtos em cânhamos, desde materiais de construção, produtos alimentares, vestuário, cosméticos, sementes, etc...

Há relativamente pouco tempo um dos directores desta firma deu uma aula prática na Faculdade de Arquitectura do Porto, à qual assisti, sobre a fabricação de tijolos feitos à base de cânhamo.

É isto o que posso dizer - e acho que dá muito que pensar.

(A imagem foi retirada da "Wikipedia", onde muito mais se pode ler sobre este tema e a quem agradecemos...)

segunda-feira, abril 30, 2007

Novas das "Aldeias de Portugal"


Acções de sensibilização nas Aldeias de Portugal

"Durante o mês de Maio, a ATA (Associação do Turismo de Aldeia) e as Associações de Desenvolvimento Local das respectivas aldeias, iniciarão as acções de sensibilização a promover nas Aldeias de Portugal, com o objectivo de envolver e motivar os agentes de desenvolvimento da aldeia e a população em geral, para os projectos que serão levados a cabo nessas e para essas aldeias, como sejam os Projectos de Cooperação Aldeias de Portugal, Aldeias de Tradição e Dinamização dos Territórios Rurais.

Não descurando a importância da população local, das associações existentes e ainda dos organismos públicos, como parceiros no desenvolvimento e promoção das aldeias, a ATA procurará nestas acções de sensibilização, estabelecer uma relação de compromisso e de responsabilização social com estes, na procura dos objectivos estratégicos definidos e no cumprimento dos regulamentos assentes.

As acções de sensibilização a levar a cabo, terão ainda como atributo o incentivo da população local ao investimento na aldeia e a divulgação dos requisitos e benefícios que os proponentes das actividades económicas terão com a atribuição da marca Aldeias de Portugal aos seus estabelecimentos e/ou actividades.
Serão realizadas trinta e seis acções de sensibilização, o correspondente a uma acção de sensibilização por aldeia classificada."

A ATA promove, durante os meses de Maio e Junho Workshops/Seminários no âmbito da Gestão da Organização, Concepção de Projectos e Desenvolvimento Territorial que irão ser ministrados pela Universidade Católica Portuguesa.

terça-feira, abril 24, 2007

O moinho do Sr. Horácio


Noutro país um moinho destes, autêntico museu vivo, estaria salvaguardado e teria todos os apoios necessários para se manter em funcionamento (dizia-nos Frits Schuitemaker que na Holanda "os agricultores são pagos para manter a paisagem rural" (!!!).... De facto estamos a anos-luz da Europa. Aqui apenas pode contar com a boa-vontade dos seus proprietários para nosso gáudio e boaventurança, felizmente... Obrigado Sr. Horácio e Sra. Emília.

terça-feira, abril 17, 2007

Frits Schuitemaker visita novamente Boassas

O coordenador na Holanda do projecto Villages of Tradition (congénere das nossas Aldeias de Portugal), Mr. Frits Schuitemaker, irá visitar novamente Boassas, desta feita a propósito da Quinta do Paço da Serrana e da possibiliade de uma parceria, ou mesmo geminação de uma hipotética futura Casa-Museu Serpa Pinto com o Museu Abel Tasman, em Lutjegast. Penso que esta é já a quarta vez que Frits nos visita...

Blogue "Alfar Galería Azul" dá destaque à exposição de Boassas


O blogue "Alfar Galería Azul", da crítica e especialista de arte contemporânea Maria Jesús Sarmiento, de Leão, Espanha, evidencia em grande destaque a exposição do "II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas" a decorrer no Museu Nacional González Martí. Para aceder ao dito artigo basta clicar na imagem ou na frase sublinhada. Muito obrigada María Jesús...

(A peça que ilustra esta entrada chama-se "Sin titulo", é da autoria do artista valenciano Juan Ortí, e foi fotografada por Fernando Ferreira . 3F Produções)

quarta-feira, abril 11, 2007

Nova exposição do II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas


Este o aspecto com que ficou a sala de exposições temporárias do Museu Nacional de Cerâmica González Martí, após a inauguração da exposição do "II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas" que decorreu no passado dia 4. A exposição foi precedida de uma interessante palestra, que contou com a participação do próprio director do museu e também do director do Museu de Cerâmica de Manises. A afluência de público foi considerável.

Disponibilizamos aqui o dossier de imprensa que então foi enviado a todos os órgãos de informação e entidades.

Etiquetas: ,

sexta-feira, março 23, 2007

Desdobrável da nova exposição




Este o aspecto do desdobrável que apresenta a 3.ª e (em princípio) última exposição dedicada ao II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas, que irá inaugurar no próximo dia 4 de Abril, e da exclusiva responsabilidade do Museu Nacional de Cerâmica González Martí. Assim, à Casa da Cultura de Cinfães (Portugal) e ao Centro Municipal de Exposições de Avilés (Espanha), sucede este importante museu de Valência, também em Espanha.

terça-feira, março 20, 2007

"Crónica de uma morte anunciada"


Já está!... Foi abaixo!!!!... Embora já estivéssemos à espera, nem por isso a mágoa é menor por vermos desaparecer mais um dos já raros exemplares de típica arquitectura vernacular de Boassas. Não nos enganamos quando um dia dissémos que esta iria ser "a próxima vítima"... Embora hoje Boassas seja uma aldeia classificada (no PDM e como Aldeia de Portugal), com um turismo crescente (diria mesmo florescente) e que se começa a fazer sentir, com actividades culturais que ultrapassam o próprio país, continua, inexplicavelmente, a ser destruída sistematicamente comprometendo, inclusive, alguma ténue possibilidade de futuro... As actividades de desenvolvimento que têm sido levadas a cabo nos últimos anos pela Associação Por Boassas e que começam a dar alguns frutos, são assim, constantemente, postas em causa e contrariadas por estes autênticos actos de "vandalismo" cultural. Põe-se assim em causa a sobrevivência de todos aqueles que ainda vivem em Boassas, tendo em conta que a própria aldeia e o seu património, conjugados com o turismo, alguma pequena indústria artesanal e alguma actividade agrícola, poderão ser a sua única hipótese de sobrevivência. Esta é a gota de água que faz esgotar a nossa paciência. Segue o pedido de classificação de toda a aldeia e área envolvente ao IPPAR. Talvez assim se consiga, de uma vez por todas, travar esta destruição massiva...

Uma história rocambolesca...

In "Jornal de Notícias" de 9 de Março de 2007

quarta-feira, março 14, 2007

Que Plano Director Municipal?...


Segundo o Plano Director Municipal (em vigor... e com carácter legislativo) Boassas é uma aldeia com "Valor Patrimonial". E, de facto, lá podemos ver na imagem um símbolo, constituído pelas letras VP circunscritas num círculo. Os dois quadradinhos brancos no interior da mancha referem-se às "classificadas" casas do Cubo e do Fundo da Rua. E que diz o "Regulamento" do PDM sobre estas supostas zonas de Valor Patrimonial? Vamos apenas ler dois trechos:
«Artigo 60.º - Caracterização
1 - Designam-se por Zonas com Valor patrimonial as áreas que, embora permitam novas construções, se encontram sujeitas a condicionamentos resultantes do elevado valor arquitectónico do conjunto que configuram, o qual não poderá ser prejudicado.
(...)

Artigo 61.º

1- Nas Zonas com Valor Patrimonial apenas poderão ser licenciadas novas construções ou obras de ampliação que respeitem o actual modelo estético característico da zona.
2 - O licenciamento de obras de remodelação ou reconstrução nestas áreas apenas poderá ser concedido se o projecto oferecer garantias de que as fachadas e coberturas dos respectivos edifícios não agridem ou desvalorizam a envolvente em que se inserem (...)»
Uma pergunta. Para que se gastam milhares em planos que depois não servem para nada (exceptuando o enriquecimento do "anedotário" nacional) a não ser infernizar a vida a um ou outro "papalvo" que ainda tenta fazer as coisas de acordo com as normas e as leis?...
Das dezenas de obras feitas em Boassas desde a entrada em vigor do PDM devem-se contar pelos dedos de uma só mão as que se inserem neste regulamento. No entanto, numa obra minha, foi chamada a atenção para o facto de o aviso "não estar colocado em local suficientemente visível". Podia ser anedota, se não fosse tão dramático...

quinta-feira, março 08, 2007

Nova exposição dia 4 de Abril


A nova exposição do "II Encontro Internacional de Ceramistas em Boassas" irá ter lugar no Museu Nacional de Cerâmica González Martí, em Valência, Espanha. Inaugurará no dia 4 de Abril, data em que haverá também uma palestra com todos os artistas/ceramistas participantes e estará patente até dia 3 de Junho.

segunda-feira, março 05, 2007

"Speaking words of wisdom..."

Carta de um índio ao Presidente dos EUA James Monroe (James Monroe foi o quinto Presidente dos Estados Unidos da América, entre 1817 e 1825)

«O Grande Chefe de Washington mandou fazer-nos saber com palavras de boa vontade que nos quer comprar as terras. Muito agradecemos a sua atenção, pois sabemos demasiado bem a pouca falta que lhe faz a nossa amizade.
Queremos considerar esta oferta porque também sabemos demasiado bem que, se o não fizéssemos, os caras pálidas nos arrebatariam as terras com armas de fogo.
Mas, como podeis comprar ou vender o céu ou o calor da terra? Esta ideia parece-nos estranha. Nem a frescura do ar, nem o brilho das águas nos pertencem. Como poderiam ser comprados? Deveríeis saber que cada pedaço desta terra é sagrado para o meu povo. A folha verde, a praia arenosa, a neblina no bosque, o amanhecer entre as árvores, os pardos insectos... são experiências sagradas e memórias do meu povo.
Os mortos do Homem Branco esquecem a sua terra quando começam a viagem através das estrelas. Os nossos mortos, pelo contrário, nunca se afastam da terra, que é a mãe. Somos uma parte dela, e a flor perfumada, o veado, o cavalo e a águia majestosa são nossos irmãos. As encostas escarpadas, os prados húmidos, o calor do corpo do cavalo e do homem, todos pertencem à mesma família.
A água cristalina que corre pelos rios e ribeiros não é somente água, também representa o sangue dos nossos antepassados. Se vo-la vendêssemos, teríeis que recordar que são sagrados e ensiná-lo aos vossos filhos.
Também os rios são nossos irmãos porque nos libertam da sede, arrastam as nossas canoas, procuram-nos os peixes. E além do mais, cada reflexo fantasmagórico nas claras águas dos lagos relata histórias e memórias da vida das nossas gentes, o murmúrio da água é a voz do pai do meu pai. Sim, Grande Chefe de Washington, os rios são nossos irmãos e saciam a nossa sede, são portadores das nossas canoas e alimento dos nossos filhos. Se vos vendermos a nossa terra teríeis que recordar e ensinar aos vossos filhos que os rios são nossos irmãos e também seus. É por isso que devemos tratá-los com a mesma doçura com que se trata um irmão.
Claro que sabemos que o homem branco não percebe a nossa maneira de ser. Para ele um pedaço de terra é igual a outro pedaço de terra, pois não a vê como irmã, mas sim como inimiga. Depois de ela ser sua, despreza-a e segue o seu caminho.
Deixa para trás a campa dos seus pais sem se importar. Sequestra a vida dos seus filhos e também não se importa. Não lhe importa a campa dos seus antepassados nem o património dos seus filhos esquecidos. Trata a sua mãe terra e seu irmão firmamento como objectos que se compram, se exploram e se vendem, tal como as ovelhas ou as contas coloridas. O seu apetite devora a terra deixando atrás de si um completo deserto.
Não consigo entender. As vossas cidades ferem os olhos do Homem Pele Vermelha. Talvez seja porque somos selvagens e não o podemos compreender. Não há um único lugar tranquilo nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desenrolar das folhas ou o rumor das asas de um insecto na Primavera.
Talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreendo bem as coisas. O barulho da cidade é um insulto para o ouvido. E eu pergunto-me “Que tipo de vida tem o homem que não é capaz de escutar o grito solitário de uma garça ou a discussão nocturna das rãs ao redor de uma jangada?”. Sou um Pele vermelha e não o consigo entender. Nós preferimos o suave sussurro do vento sobre a superfície de um lago e o odor deste mesmo vento purificado pela chuva do meio-dia ou perfumado com o aroma dos pinheiros.
Quando o último Pele Vermelha tiver desaparecido desta terra; quando a sua sombra não for mais que uma lembrança como a de uma nuvem que passa pela pradaria, mesmo então estes ribeiros e estes bosques estarão povoados pelo espírito do meu povo. Porque nós amamos este país como uma criança ama os batimentos do coração da sua mãe.
Se decidisse aceitar a vossa oferta teria que vos sujeitar a uma condição: que o homem branco os animais desta terra como irmãos. Sou selvagem e não compreendo outra forma de vida.
Tenho visto milhares de búfalos apodrecendo, abandonados nas pradarias, abatidos a tiro pelo homem branco que dispara de um comboio, que passa. Sou selvagem e não compreendo como uma máquina fumegante pode ser mais importante que o búfalo, o qual apenas matamos para sobreviver.
O que é o homem sem os animais? Se os animais desaparecessem o homem morreria de uma grande solidão. Tudo o que acontece aos animais acontecerá também ao homem brevemente. Todas as coisas estão ligadas.
Devíeis ensinar aos vossos filhos o que nós ensinámos aos nossos, que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontece à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no chão, cospem em si mesmos.
Sabemos uma coisa que talvez o Homem Branco descubra algum dia: a Terra não pertence ao Homem, é o Homem que pertence à Terra. Tudo está interligado, como o sangue que une uma família. O Homem não teceu a trama da vida. Ele é apenas um fio. O que faz com essa trama fá-lo a si próprio. Nem sequer o Homem Branco, com quem o seu Deus passeia e fala de amigo para amigo, está isento do destino comum. Depois de tudo, talvez sejamos irmãos. Logo veremos.
(...) Também os brancos se extinguirão, talvez antes das outras tribos. O homem não teceu a rede da vida. É apenas um desses fios e está a tentar a desgraça se ousa destruir essa rede.
Tudo está ligado entre si como o sangue de uma família. Se sujardes o vosso leito, uma noite morrereis sufocados pelos vossos excrementos.
Mas vós caminhareis até à destruição, rodeados de glória e esplendor pela força de Deus, que vos troxe a esta terra e que por algum especial desígnio vos concedeu domínio sobre ela e sobre o Pele Vermelha. Esse desígnio é um mistério para nós, pois não entendemos porque se exterminam os búfalos, se domam os cavalos selvagens, se enchem os recantos secretos de um bosque com o hálito de tantos homens e se cobre a paisagem das exuberantes colinas com fios faladores.
Onde está o bosque denso? Desapareceu.
Onde está a águia? Desapareceu.
Assim se acaba a vida e só nos resta a possibilidade de tentar sobreviver.»

Texto extraído da revista «Ecos do ambiente, n.º 3, Fevereiro de 2000 - Revista do Geonúcleo - Núcleo de ambiente da Universidade Fernando Pessoa»

quinta-feira, março 01, 2007

Boas novas...


Recebemos recentemente (início do mês de Fevereiro) um ofício da Direcção-Geral dos Recursos Florestais sobre a possível classificação do maciço arbóreo da designada "Quinta do Paço". Há motivos para estarmos satisfeitos, pois na citada mensagem, a determinada altura, pode ler-se o seguinte:
"(...) o arvoredo está envolvido por uma certa beleza botânica e de importância ÍMPAR ao nível da paisagem e da biodiversidade dos diferentes ecossitemas onde está inserido (naturais e artificiais)... (...) aguarda-se por uma visita na Primavera para avaliar a presença de mais espécies de difícil identificação pela falta de folhas... (...)"
Aguardemos, pois, pela Primavera para averiguar que surpresas mais nos reserva ainda a fantástica "Quinta do Paço da Serrana". A classificação está em curso.
(O sublinhado é de nossa autoria)

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

A casa do Sr. Chico


Se fosse hoje teria feito questão de que esta casa mantivesse o nome pela qual sempre a conheci... a "Casa do Sr. Chico". Era o caseiro da "Quinta do Outeiro" e recordo com saudade o seu rosto bondoso, desenhado por uma vida bastante dura, que por vezes fazíamos alterar, quando lhe estragávamos as culturas com as nossas irreflectidas brincadeiras de criança. Tentei que a casa mantivesse, tanto quanto possível o seu aspecto exterior, já que no interior pouco havia a recuperar. As pedras mantiveram os musgos e líquenes seculares, as telhas também; as portas continuam a ser em madeira, embora agora com vidro, mantendo-se as portadas interiores e até o branco da cal foi reposto... Não tinha água canalizada, saneamento, quarto de banho, telefone ou electricidade. O forno foi reconstruído no exacto local onde se encontrava anteriormente e a organização espacial interna tenta, de alguma forma, seguir o pré-existente... Farão os turistas, que agora a ocupam quase semanalmente, ideia de como era a vida nesta casa rural?... Farão ideia de quem foram durante tantas décadas os seus habitantes?... Conseguirão (eles e os nossos leitores) identificar a casa de que estamos a falar?...
Para finalizar, apenas uma palavra para a Sra. do Céu, que acompanha o Sr. Francisco na foto e que era sua cunhada. Ainda vive, em Boassas, e faz as melhores filhós que já provei. A ambos é dedicado este apontamento.

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Novo concurso de fotografia


A Associação Por Boassas decidiu na sua última reunião de direcção dar continuidade ao concurso de fotografia lançado no ano passado. Assim, ficou estipulado que o novo concurso deverá ter normas idênticas às da primeira edição e será lançado oficialmente aquando da inauguração da 2.ª exposição resultante do primeiro concurso. Esta deverá ser realizada em Cinfães no museu Serpa Pinto em data a anunciar brevemente... Esperemos que, desta feita, a participação e o sucesso alcançados na 1.ª edição sejam ainda maiores.

(A foto é uma singela homenagem aos heróicos "marinheiros" do Douro e aos mestres arrais dos célebres barcos rabelos, quase todos de Porto Manso, Boassas, Porto Antigo e Souto do Rio, como este senhor, a quem chamavam "O Trinta"...)

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Comboios vão voltar ao Douro entre o Pocinho e Barca de Alva

O Jornal de Notícias publicou recentemente a notícia de que "a linha do Douro irá ser reactivada entre o Pocinho e Barca de Alva", para fins estritamente turísticos. Custa-nos a crer que neste país não se pense só em TGV's e em Lisboa e Porto... Será mesmo? Apesar de tudo são boas notícias. Vamos esperar para ver...

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Breves...

In "Greenpeace"

O que se passa no México? "Es probable que nada pase". A ver de 13 a 17 de Fevereiro na Rua do Almada 555
In Blog Mr. Ruim

A propósito de "liberdade de expressão"...

Surpreendentemente, ou talvez não, notícias recentes voltaram a trazer "à baila" a questão da tão proclamada "liberdade de expressão", que tão arreigadamente têm defendido os jornalistas. No caso trata-se da opinião de dois juízes portugueses. Numa situação, por um deles se ter pronunciado publicamente sobre um recente "caso" célebre e mediático, o Conselho Superior de Magistratura instaurou-lhe um processo disciplinar, na outra situação, tal sucedeu por o mesmo ter usado num "blogue" "linguagem imprópria" (!!!????)... Pelos vistos a "liberdade de expressão" tem limites - e que limites!... Recordamos que é punível por lei "ofender" os símbolos pátrios (por exemplo não se podem deixar as bandeiras nacionais a "apodrecer" nas janelas, como vemos em tantas casas portuguesas) e lembramo-nos dos problemas que teve o actor João Grosso por um dia ter pisado, numa actuação teatral, a bandeira nacional. É proibido ser anti-semita, ou ostentar ideologia nazi e, não tarda nada, negar o Holocausto e as aparições de Fátima, por exemplo... Pelo mesmo caminho e devido à sua linguagem "obscena", irão os livros de Sade, de Henry Miller, Masoch e até o "Capuchinho Vermelho". Em Inglaterra é proibido representar qualquer membro da família real despojado de vestuário, ou seja, nú!!!... Enfim, pelo menos ainda temos a liberdade de publicar, por exemplo, um "cartoon" do profeta Mohammed (ou Maomé) a ser violado por um cão, enquanto está a rezar virado para Meca... Não há que ceder ao "fundamentalismo", pois então. Felizmente que os jornalistas da praça estão bem atentos a estas questões, senão o que seria da "nossa" liberdade de expressão?...

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Classificação da Quinta do Paço da Serrana

















Em mais uma iniciativa inédita a nível concelhio, e mesmo distrital, a Associação Por Boassas formalizou recentemente (Julho de 2006) junto da Direcção Geral dos Recursos Florestais o pedido de classificação como Património de Interesse Público do maciço arbóreo constituído pela floresta da "Quinta do Paço da Serrana". Recentemente o local foi visitado pelos técnicos dessa instituição, tendo causado profunda impressão e alguma pena por "aquele espaço se estar a perder"... Pois, precisamente por isso e pelos vários alertas que já aqui havíamos lançado (1, 2, 3, 4, 5... clicar para visualizar) pedimos a sua classificação. Será uma forma de incentivar a sua protecção, de valorizar todo o espaço e envolvente, de fomentar o turismo e a cultura na região. Aguarda-se a todo o momento o resultado...

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Hoje é dia de "apagão"!!!!...

Contra o desperdício de energia, hoje, dia 1 de Fevereiro, 5ª feira, das 19h55 às 20h00 todas as pessoas são convidadas a desligar qualquer aparelho que consuma energia. O apelo é por uma boa causa, e até a própria Torre Eiffel vai estar apagada durante estes 5 minutos...

(Claro que as vozes do costume já se vieram pronunciar sobre os "perigos" de um eventual apagão... aqui, via "Ondas")

quarta-feira, janeiro 31, 2007

Boassas na página das "Aldeias de Portugal"


Transcrevemos a descrição de Boassas na página oficial das "Aldeias de Portugal", onde é de notar a referência ao seu notável património, tradições e aos já célebres "Encontros Internacionais de Ceramistas". Para visitar a página, basta "clicar" na frase sublinhada. O referido texto diz assim:
"A aldeia de Boassas encanta com o património edificado de grande valor arquitectónico, cultural e histórico que apresenta, aliado à paisagem sobre o imponente rio Douro, a albufeira da Pala e ainda o Vale do Bestança em que se encontra. O núcleo mais antigo do lugar, a Arribada, revela um acentuado ar mediterânico e conta-nos a história da presença árabe/ islâmica em terras durienses. À medida que se percorre as ruas estreitas e os típicos pátios ornamentados de vasos coloridos com flores, descortina-se um passado sublime, expresso na arquitectura das casas e nas tradições e mitos de Boassas. É ainda possível conversar com os seus habitantes, presentes frequentemente à soleira da porta, observar o latoeiro na celebração do seu ofício, petiscar num dos três cafés/ mercearias existentes na aldeia.

Como importante contributo para as potencialidades turísticas que apresenta, fruto do património singular que ostenta, a arte “cerâmica” tem sido um factor dinamizador do local, conferindo-lhe um cariz internacional, nomeadamente através do I Encontro Internacional de Ceramistas que o lugar conheceu em 2004 e cuja Associação por Boassas, promoverá a continuidade."
Sentimo-nos honrados e lisonjeados, pelo que agradecemos à Associação de Turismo de Aldeia esta "benesse", sobretudo nas pessoas do Sr. Professor Mota Alves e da Sra. Eng.ª Teresa Pouzada. Muito obrigado! Esperamos saber ser dignos de tal distinção.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Novas... do Douro

O Douro vai pertencer a uma nova Região de Turismo...
In Jornal de Notícias de 21-01-2007

Entretanto um "resort" de luxo obteve "luz verde"...
(hmmm... se se mantiver o projecto divulgado há algum tempo atrás desconfio que começou a "algarvização" do Douro)
In Jornal de notícias de 21-01-2007

Entretanto o arquitecto António Leitão Barbosa venceu o 1.º prémio de arquitectura do Douro
Só não entendo porque é que o prémio se cinge exclusivamente ao Alto-Douro vinhateiro.

In Jornal de Notícias de 21-01-2007
É lançada hoje a primeira pedra do Museu de Arte e Arqueologia do Vale do Côa
In "O Primeiro de Janeiro de 26-01-2007