quinta-feira, maio 17, 2007

Construir em madeira


“A madeira é um material altamente reutilizável, aproveita a energia solar e o CO2 atmosférico para a sua geração e, por sua vez, consome pouca energia para a sua transformação sem produzir no seu processo resíduos contaminantes.

O aproveitamento construtivo de madeiras certificadas retira por grande período de tempo grandes quantidades de CO2 atmosférico (1,8 Tm.de CO2 por cada Tm. de madeira) o que facilita o cumprimento dos compromissos de Kioto sobre as alterações climáticas. O aproveitamento dos produtos florestais com gestão certificada melhora os bosques e possibilita um maior desenvolvimento social do mundo rural.”

Tradução livre do texto extraído do 1.º concurso da Cátedra de la Madera de Castilla y León “Construir con Madera” (www.uva.es/agoras.arq)

Nota: Em Portugal a construção em madeira é apenas residual, no entanto somos dos maiores consumidores mundiais de betão. Sintomático disso mesmo é o facto de o concurso português de arquitectura mais importante ser patrocinado por uma empresa de cimento... Por outro lado há também um preconceito e ignorância enraízados sobre este (tão nobre) material.

2 comentários:

Paulo J. Mendes disse...

Estou de acordo, infelizmente ainda existem muitos preconceitos associados à construção em madeira, que é erradamente associada a "pré-fabricados" e construções de alojamento temporário... No entanto hoje em dia existem soluções fantásticas que utilizam este material, que é também muito mais confortável, melhor para a saúde e termicamente mais eficiente que o betão.

APOBO disse...

Caríssimo Paulo
Que grata surpresa vê-lo aqui pelo nosso humilde "Boassas"... Tem toda a razão no seu comentário, que desde já agradecemos. Ainda não há muito tempo uns "doutores" (catedráticos) me escreviam, criticando uma minha opção num projecto que previa uma parte em madeira, dizendo que era um material fraco e desprezível... Podem ser doutores e saber muito de outros assuntos, mas quanto a arquitectura a ignorância é total. No entanto estamos num país em que toda a gente é arquitecta.
Mais uma vez obrigado pelo comentário e participação. Um abraço, até breve e felicidades para o omnipresente "Está de Velho"

Manuel da Cerveira Pinto