sexta-feira, setembro 09, 2005

Requiem pela "Quinta do paço da Serrana" III. Há 20 anos era assim...

4 comentários:

Anónimo disse...

Começo agora a perceber melhor do que falas. Não há dúvida que é um crime. Como os outros, mas maior. Efectivamente é de indignar e revoltar. Estamos entregues à bicharada (sem ofensa, para os meus amigos bichos). -- JRF

APOBO disse...

Olá caríssimo JRF...
O que te posso dizer, uma vez que não conheces aquele espaço, é que... ainda não viste nada!
Abraço

Sonia Campelo (Porto) disse...

O meu querido "Portugal Rural" está lentamente a morrer e a nascer um "Portugal anormal".
Cada vez me identifico menos com isto tudo!
Que os Srs. Dr.s, Eng.ºs, arq.ºs e demais patos bravos, nos deixem em PAZ!
B A S T A ! !

APOBO disse...

Cara "sonia campelo (porto)"...
Respeitamos a opinião de toda a gente, e a prova disso mesmo é a permanência do seu comentário neste espaço, porém, não conseguimos compreender o seu "desabafo"... Entendemos que as pessoas possam não gostar da obra retratada na imagem e do arquitecto e engenheiros que a projectaram, assim como entendemos que possa haver quem não goste do General Serpa Pinto e do seu pai o doutor José da Rocha Miranda de Figueiredo. Entendemos que exista gente a quem a história e o nome dos mais ilustres personagens da sua terra nada lhes diz, assim como compreendemos que as pessoas possam viver (mesmo no Porto... embora em algum recôndito espaço rural, sem abastecimento de água, electricidade, telefone, televisão, etc., ou seja, onde a acção dos "patos bravos" ainda não se fez sentir) em edifícios concebidos e executados por elas próprias (como deve ser o caso - salvaguardando, claro está, que possam ser obrigados, por forças poderosas e obscuras, a habitar edifícios concebidos por algum engenheiro, arquitecto ou demais "patos bravos"...) e que herdaram um conhecimento empírico notável que lhes permite estas e outras façanhas prodigiosas. Nós reconhecemos as nossas limitações e, assim sendo, aceitamos e agradecemos a contribuição de "doutores, engenheiros e arquitectos", mas também de agricultores, pedreiros, artesãos, professores... enfim de qualquer profissional "pato bravo" que nos queira ajudar a tornar mais agradável, mais bonita, mais rentável e mais apreciada a nossa terra. Por isso a APOBO integra pessoas de todas estas profissões (e muitas outras...) sem exclusões!... Entendemos que possa haver quem não pense assim e não deseje, nem se identifique com nada disto. Mas então só posso dizer que, até para salvaguardar as suas energias e decepções futuras, este não é um espaço que, seguramente, lhe vá alguma vez agradar... Por outro lado, ninguém é obrigado a visitar esta página ou a fazer comentários, mas se alguém acha que o que aqui se afirma não lhe agrada ou não se coaduna com a sua opinião, tem duas soluções possíveis: abster-se de visitar esta página ou rebater, de forma lógica, coerente e educada as opiniões publicitadas. Até porque é muito mais fácil para nós dizer, a quem quer que seja, para nos "deixar em paz". É apenas o esforço de carregar num botão!