quarta-feira, setembro 13, 2006

Património de Boassas V

Capela de Nossa Senhora do Amparo



A Capela de Nossa Senhora do Amparo localiza-se no sítio dos "Lameirinhos" e pertence à Casa do Cubo, da qual já aqui anteriormente falámos. Terá sido fundada em meados do século XVII pelo Padre Manuel Pereira e no seu interior encontra-se uma pedra lapidar com data de 1650. Nesta capela foi sepultado o Capitão-Mor de Ferreiros de Tendais, Senhor da Casa do Cubo e Cavaleiro da Ordem de Cristo, António do Amaral Semblano. É seguramente um dos mais notáveis edifícios patrimoniais de Boassas.

4 comentários:

Emilio Semblano disse...

Gostaria tecer algumas consideracoes sobre a capela e o capitao-mor A.A Semblano.
No estudo que fizemos e publicado em n/livro: "Semblano uma familia sua origem e historia", 08/2005, constata-se :
1. Antonio Amaral Semblano faleceu a 03.7.1777;
2. Foi sepultado na capela sra. do Amparo numa lapide que tem gravada 1670, possivelmente outro foi sepultado 107 anos antes.
Seria bom verificar e retificar .
Grato
Emilio Amaral Semblano
< emilio.semblano@terra.com.br>

APOBO disse...

Caro Sr. Emílio Amaral Semblano
Antes de mais, seja bem-vindo ao nosso Boassas e obrigado pela participação.
De facto há algum lapso no pequeno artigo apresentado que pode induzir em erro o mais incauto leitor. Existe na realidade uma pedra lapidar no interior do pequeno templo que data de 1650. O túmulo parece ser, de facto, pelas (parcas) inscrições que contém da família Semblano, no entanto embora haja registo de que aí tenha sido sepultado o Capitão-Mor de Ferreiros de Tendais, António do Amaral Semblano, tal deverá ter sucedido no ano da sua morte que é, como refere, 1777, pelo que a data de 1650 se deverá referir a outro personagem aí sepultado nesse ano. A data que existe no túmulo (que já muitas vezes visitamos) é indubitavelmente 1650 e não 1670, sendo este o ano em que recebeu permissão para que nela se pudesse celebrar missa, como é referido em documento coevo citado por M. Gonçalves da Costa no seu História do Bispado e Cidade de Lamego. Assim, pedimos desculpa pela indução em erro, sendo que pouco haverá que corrigir relativamente à nossa acepção.
Agradeço mais uma vez a visita e participação.
Manuel da Cerveira Pinto

APOBO disse...

Sobre a resposta anterior
P. S. Esqueci-me de referir que o artigo foi já corrigido de forma a não causar mais erradas interpretações...

Anónimo disse...

A sepultura de 1650 é do P. Manuel Pereira, que penso ser tio-bisavô de António do Amaral Semblano.
Miguel RPF Doria