domingo, abril 18, 2010

A poluição (sonora) em Boassas


Logo após a semana santa inicia-se em Boassas o calvário!... É uma tortura intensa e continuada todos os domingos de tarde em que (alguns) ilustres "benfeitores" decidem torturar aqueles que procuram o fim de semana para repousar de uma semana de trabalho, jardinar ou apenas ficar tranquilos nas suas casas. As "cornetas" encavalitadas na cruz da capela de Nossa Senhora da Estrela vociferam sons tonitruantes, a mais pura boçalidade "pimba", em jorros de autêntica poluição sonora que, com o beneplácito da igreja, infernizam o nosso juízo...  Porque tenho que ser obrigado a ter em minha casa a poluição, o lixo, que os outros querem?.. Como é isto possível?... Como pode a Igreja pactuar com esta situação?... Se for eu a "obrigar" os outros a ouvir todos os domingos aquilo que eu quero, será que vão gostar?... E já agora, porque é que o barulho pára quando o padre diz a missa?...

9 comentários:

Anónimo disse...

Como a missa é ao sabado e a música ao domingo de tarde ela não se cala quando o Sr Padre está. E são os mordomos que colocam a música. Existe tanta poluição que a sonora não será a pior visto que simplesmengte ocorre durante a tarde de domingo umas 5 horas. Estou cansada de ler e ouvir tanto sobre poluição e tão pouco se faz eu pelo menos tento preservar a minha aldeia e faça recolha dos lixos na rua e incentivo os outros a seguir o meu exemplo e tento também ajudar os idosos e ajudo para a concretização da festa e na limpeza da Capela. Ouço tanto e vejo tão pouco, falar é facil fazer é que é complicado. E diga-se não habito actualmente em Boassas mas em Bragança e mesmo assim tento o melhor e critico muito menos.

Anónimo disse...

Peço desculpa anteriormente não me identifiquei o meu nome Sónia Constante.

Sónia Constante disse...

Aqui vai uma informação que acho essencial culturalmente neste ano de 2010 a Capela da Nossa Senhora da Estrela completa 300 anos e assim sendo no dia 9 de Maio realiza-se uma missa, uma pequena comemoração. A todos que queoram participar apareçam a missa acho que é as 11 horas.

Marisa Ventura disse...

Penso que a Festa em honra da Nossa Sra da Estrela já se realiza há muitos anos...
Nunca ouvi tal absurdo!!! leilões/ poluição sonora??? porque...??
Felizmente vivemos numa era moderna.. já não é necessário fechar portas, janelas, etc. para tentar ocultar o que não queremos ouvir. Existem os famosos fones(por exemplo) que podemos colocar nos ouvidos e seleccionar o que queremos ouvir...

Aqui vai uma ideia para quem não é apologista de uma festa que é ansiada por muitos ao longo de todo Ano.. Se não querem poluição sonora.. por favor coloquem uns phones!!!
Viva BOASSAS, costumes e tradições!!!
Parabéns aos que lutam para que esta Festa se realize!!!
Marisa Ventura

Cerveira Pinto disse...

Olá Marisa
1) Quanto à festa de Boassas, o texto não fala em momento algum na mesma nem põe qualquer tipo de objecção à sua realização, pelo que não se entende o propósito da afirmação.
2) Da mesma forma também não menciona "leilões" (!!!!!?????)...pelo que, mais uma vez, a afirmação/questão é descabida.
3) Quanto à questão dos "fones", parece-me que há aí grande confusão! Ninguém pode ser obrigado a usar "fones" em sua própria casa por causa do barulho que os outros fazem no espaço público!... Por isso mesmo existe uma legislação contra a poluição sonora (que lhe aconselho vivamente a ler)....
Enfim, penso que antes de "botar faladura" e desenvolver preconceitos tacanhos, haverá que ler com atenção aquilo que é escrito. Ninguém se opõe à festa, nem aos costumes e tradições (basta ler os artigos deste próprio blogue para o constatar!), pelo contrário, o que se censura é o abastardamento da tradição, a poluição e o mau gosto que impera e que leva a que os próprios visitantes (como já tive a ocasião de presenciar) se vão embora por causa do barulho! Isto para já não falar na própria questão legal!!!!...
Obrigado por participar neste espaço e...volte sempre.

Marisa Ventura disse...

Pois eu teria todo o gosto em continuar a participar, uma vez que já não é a primeira vez que o faço!
Contudo, não sei se o voltarei a fazer, pelos vistos, não li com atenção o que estava escrito, fiz "afirmações/questões descabidas" e desenvolvi "preconceitos tacanhos"! Longe de mim querer desenvolver preconceitos. Não foi essa a minha intensão.
Aquilo a que chama poluição e mau gosto penso ser uma tradição de alguns anos. No entanto poderei estar enganada.
Se existe algo que sempre respeitei foi a opinião dos outros e é obvío que respeito a sua. Contudo, penso que abordagem ao assunto em questão não foi feita da melhor forma.

Cerveira Pinto disse...

Olá Marisa
Relativamente ao que se passa em Boassas penso,sinceramente, que seria de todo aconselhável um repensar desta dita "tradição". Estou mesmo convencido de que o que se passa representa um grave prejuízo para a povoação e para os seus habitantes. A aldeia é hoje, comprovadamente, um destino turístico. Classificada como "Aldeia de Portugal", é já visitada diariamente por turistas que procuram o bucólico e sossegado meio rural. O barulho gerado não pode ser visto como uma coisa positiva para a aldeia, uma vez que afasta esses mesmos visitantes, que representam, inclusive, uma das poucas hipóteses da sua própria sobrevivência. Claro que eu mesmo me sinto largamente incomodado por não poder estar sossegado na minha própria casa, mas penso que esse até é um mal menor, comparativamente ao prejuízo para a aldeia. Peço desculpa se feri a sua sensibilidade. Não era essa a intenção. Espero que volte a participar neste espaço, quem sabe trazendo novas ideias para o que fazer em Boassas nos domingos de tarde e em épocas festivas, que possa cativar a presença dos visitantes da nossa querida e bela aldeia. Obrigado e até breve.

Marisa Ventura disse...

Querida aldeia, mesmo! Porque eu adoro BOASSAS!!!
Só fiquei triste da forma como abordou o tema!!
Depois, claro que também não reagi da melhor forma!!
Sei que o barulho incomoda, mas tento sempre compreender o outro lado...
Quem o provoca não faz por mal, tenho a certeza, antes pelo contrário!
Terei todo o gosto em partilhar ideias!!

Rúben de Sousa disse...

Sabe o "barulho" que é para si, pode não ser para os outros.
Eu não habito a aldeia mas conheço muitas delas ai no Norte e Alentejo, o "barulho +e a única forma de dar algum símbolo de festa ás gentes que ai vivem, nao se pode lançar foguetes porque pega fogo à floresta, não se pode tocar o sino porque um ou outro diz que lhe faz comichão nas orelhas, meu amigo as leis sabe onde foram criadas? Foram em Lisboa. Logo não vão corresponder à vida da aldeia, pois uma vez por ano ou duas ou três (conforme as festas celebradas) toca se o sino como meio de tradiçao/celebração.
Aconselho-o vivamente não ir a viver para uma aldeia ou vila no Alentejo, lá o sino toca de 15 em 15 minutos, toca quando morre alguém, toca na missa e toca nas festas.
Mas de uma coisa eu sei para quem não gosta de ouvir o sino tem bom remedio va viver num raio de 5 km que já nao ouve ningém, já não ouve sinos, provavelmente a morada é ao lado do cemitério.