quarta-feira, maio 27, 2009

"Corrupção absoluta"

"A característica mais marcante destes quatro negros anos de maioria absoluta do PS é o reforço, generalização e consolidação do fenómeno da corrupção. Na legislatura que ora termina, nem Governo nem Parlamento produziram qualquer medida eficaz contra a corrupção. Pelo contrário, tentaram legitimá-la e até incentivá-la."

O artigo integral de Paulo Morais no Jornal de Notícias de hoje é uma denúncia, violenta,da forma despudorada com que poder político e construção se relacionam. Algo para o que, desde há muito venho, insistentemente, alertando.


Artigo completo a ler no Jornal de Notícias de hoje (27-05-09)

sexta-feira, maio 15, 2009

Confirma-se o fim do 73/73...

Após 36 (!!!!????) anos de luta os arquitectos viram finalmente revogado o inominável decreto 73/73 e reconhecida a obrigatoriedade dos projectos de arquitectura serem feitos por arquitectos.
A arquitectura aos arquitectos! A César o que é de César!.
Mais informações aqui (Ordem dos Arquitectos).

Phillip Glass . "Opening"


Parece que hoje, após 36 anos, vai finalmente ser revogado o famigerado decreto-lei 73/73, que permite que em Portugal os projectos de arquitectura possam ser feitos por não arquitectos. É motivo para comemorar, embora com (muitas) reservas... De qualquer forma, (enquanto se aguardam mais pormenores) aqui fica um tema de um dos maiores compositores da actualidade.

terça-feira, maio 05, 2009

Redução das coimas ambientais volta a ser notícia no "Público"

Desta vez é manchete. O artigo de Ricardo Garcia no Público intitula-se
"Redução das coimas: por infracções ambientais pode chegar aos 84%"
Que interesses estarão por detrás disto?... Isto já não é um Governo... É uma anedota!

segunda-feira, maio 04, 2009

A "Casa António Osório" no "O Diário do Alarife"


O blogue "O Diário do Alarife" publica imagens sobre um dos poucos edifícios de arquitectura tradicional recuperados em Boassas - A Casa António Osório. Trata-se de uma obra publicada e que integrou também o rol de edifícios de valor patrimonial que levou à classificação da povoação como "Aldeia de Portugal"...

sábado, maio 02, 2009

Governo quer reduzir as multas ambientais

O saque continua e aumenta de intensidade!... Depois de vilependiarem a Reserva Ecológica; a Reserva Agrícola e de permitirem construções escudados em supostos PIN's (projectos de interesse nacional), pretende agora o governo diminuir o peso das multas sobre os crimes ambientais. "Uma vergonha"... refere o jornal Público.

sexta-feira, maio 01, 2009

Contra as alterações à RAN (Reserva Agrícola Nacional)

Já aqui havíamos falado sobre mais este atentado ao ambiente, à ecologia, aos recursos do país e ao futuro das gerações vindouras, mas foi ao ler o sempre presente BIOTERRA que tivemos conhecimento do artigo de Ana Fernandes no jornal "Público" e da petição que se encontra a circular em defesa da Reserva Agrícola Nacional e que, com a devida vénia e agradecimento, transcrevemos a seguir:

Em defesa da Reserva Agrícola Nacional (RAN)

Por Ana Fernandes in Público de 29-04-2009

«Portugal já não é rico em solos férteis, mas uma recente legislação veio retirar a garantia de que os que existem serão preservados. É esta a principal crítica (e preocupação) de um grupo de cidadãos que pôs a circular na Internet uma petição em defesa da Reserva Agrícola Nacional (RAN).No final do mês passado, foram aprovadas alterações ao regime da RAN que, segundo os subscritores, não melhoraram a lei anterior, antes a alteraram por completo. Por isso, apelam a que os deputados à Assembleia da República introduzam alterações que permitam que os solos sejam salvaguardados para a produção de alimentos.

A petição foi posta a circular na segunda-feira em reserva-agricola-nacional e já conta com cerca de 450 assinaturas, entre as quais a do arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, um dos ideólogos das reservas agrícolas e ecológicas nacionais.

Os subscritores da petição criticam algumas das alterações introduzidas, as quais, referem, foram escamoteadas ao escrutínio público durante a preparação do diploma. Permitir a incondicional florestação dos solos agrícolas, excluir da RAN áreas destinadas a habitação, actividades económicas, equipamentos e infra-estruturas (subalternizando a defesa dos poucos solos férteis do país a necessidades que podem ser colmatadas de outras formas) e as numerosas utilizações de áreas da RAN para outros fins são as principais questões apontadas.

Uma das principais críticas tem a ver com o facto de se prever que a delimitação da RAN tenha em atenção outros usos para o território. E argumentam que esses usos podem procurar localizações alternativas enquanto o solo agrícola tem uma localização única, cada vez mais rara no contexto nacional, e insubstituível.»

Petição aqui e aqui

"Campanha da EDP subverte realidade sobre barragens"

A QUERCUS chama a atenção para uma campanha publicitária multimilionária, produzida em larga escala e que utiliza a técnica do "greenwash" para vender a ideia de que a construção de barragens é benéfica para a bio-diversidade e para o meio-ambiente. Já nos tinha chamado a atenção o disparate. Trata-se indubitavelmente de tentar "vender gato por lebre". Uma empresa que apresenta lucros de milhões usa a estultícia com o maior despudor, tentando manipular a opinião pública, para que os (seus) interesses económicos não sejam prejudicados... Triste sinal dos tempos!...
(Para ler o artigo publicado no boletim informativo da QUERCUS, "clicar" na palavra sublinhada, ou aqui.)