terça-feira, março 03, 2009

Crime e castigo

Noticia o JN que está marcado para o dia 20 de Abril, no Tribunal da Maia, o julgamento de um homem que, em 2007, terá arrombado um galinheiro e furtado duas galinhas no valor de 50 euros.

A Justiça tarda, mas chega.

O criminoso andou mal e merece justa punição, quer pela mediocridade de fins quer pela ruralidade de meios.

Gente como ele, que pilha galinhas em vez de fundar um banco e pilhar as contas dos depositantes, ou como aquela septuagenária que não pagou uma pasta de dentes num supermercado em vez de pedir uns milhões à Caixa, comprar o supermercado na bolsa e igualmente não o pagar, vendendo-o depois à Caixa através de um "offshore" pelo dobro do preço (ou vendendo-lho mesmo antes de o ter comprado), não tem lugar no Portugal moderno e empreendedor. Ainda por cima, deixou-se apanhar.

Se calhar, até confessou, em vez de invocar lapsos de memória.

E aposto que nem se lembrou de se divorciar antes de ser preso, pondo os 50 euros a salvo na partilha de bens.

Não queria estar na pele do seu advogado, não há Código de Processo Penal que valha a um caso destes.

É condenação mais que certa.

Manuel António Pina
(In Jornal de Notícias de 3 de Março de 2009)

2 comentários:

Campelo de Sousa disse...

Pois é !!!

E assim vai funcionando a nossa justiça/injustiça !!!

Mais uma vez eu vou relembrar que a JUSTIÇA E AS LEIS EM PORTUGAL SÃO COMO AS TEIAS DE ARANHA QUE APANHAM SÓ OS PEQUENOS INSECTOS, E SÃO RASGADAS PELOS GRANDES !!!

As. Campelo de Sousa
http://montao.blogspot.com

Cerveira Pinto disse...

Estimado Campelo de Sousa
Pois...este é um retrato real de Portugal neste momento. É este o estado da nação! O estado a que isto chegou!!!... Começa a ser difícil viver num país onde é quase impossível não ser confrontado diariamente com situações injustas e corruptas. Vamos resistindo...
Um abraço e obrigado pela sua participação.